domingo, 20 de março de 2016

sexta-feira, 18 de março de 2016

terça-feira, 18 de março de 2014

Step by step

Aqui está uma coisa que eu nunca faço: estender as meias uma a uma no estendal. Costumo deixá-las dentro dos sacos de lavagem, a secar todas juntas, o que é muito mais simples mas torna o processo mais demorado.

Em vez de agir passo-a-passo, tento fazer tudo ao mesmo tempo, portanto. O multi-tasking. Às vezes resulta numa grande trapalhada.

(Infinity socks, instalação de Christo & Jeanne-Claude)


sábado, 4 de agosto de 2012

Economia do cultivo do gosto


Duas teorias económicas explicam a formação do gosto pelas artes:
 - A teoria do capital de consumo e dependência racional: o consumidor parte de um capital inicial de experiência de consumo, que permite que a utilidade (satisfação) que retira de cada nova experiência seja sempre maior. Ou seja, quanto mais consome, mais gosta.
 - A teoria da aprendizagem pelo consumo: o consumidor retira uma utilidade (satisfação) não expectável de cada experiência de consumo, que pode ser positiva ou negativa, fazendo o seu gosto pela arte aumentar ou diminuir no final de cada experiência. Ou seja, umas vezes gosta, outras não.
As duas teorias são compatibilizáveis ao serem associadas a diferentes fases de apreciação. Numa fase inicial, o consumidor não tem ainda um capital de experiências de consumo e cada nova experiência pode ser mais ou menos gratificante, em função das expectativas que cria a partir das poucas experiências anteriores. Numa fase mais avançada de consumo, as expectativas tornam-se mais estáveis fruto de um maior capital de experiência – o gosto cultivado. 

quarta-feira, 11 de abril de 2012

A caixa de correio electrónica

Diz a carta que recebi das Finanças (suponho que será a última...) que a nova caixa de correio electrónica vem faciliar a comunicação com os contribuintes. Devem estar a brincar! Agora, além de ter que abrir a caixa do correio à porta de casa, e de ver o e-mail, ainda tenho que me lembrar de ir consultar a caixa do correio das Finanças. É que, se não estivessemos no século XXI, teria de me lembrar de, de vez em quando, ir abrir uma caixa e correio à porta da minha repartição de Finanças.

As notificações assumem-se entregues ao fim de 25 dias - nem sequer são 30, que daria para me compenetrar e que tinha de ver a caixa de correio electrónica uma vez por mês, ligando essa nova rotina com outras que já se fazem mensalmente - como ir ao MacDonalds...

Prevejo que este ano irei contribuir para o equilíbrio do défice com umas multas das Finanças... se calhar é esta a intenção...

quarta-feira, 21 de março de 2012

Leituras :


Dar e voltar a tirar

A TMN deu-me 5 euros de saldo quando me passou para aquele tarifário. Quando mudei para outro tarifário, tirou-me os 5 euros.
Pergunto-me se não valia mais a pena a TMN não me dar 5 euros, com os quais nem sequer estava a contar, para não ter de mos tirar mais tarde, em que já nem me lembrava que me tinham sido dados, e me fiquei a sentir roubada.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

De volta ao papel

Depois de ler este post no GTD Times, percebi que em papel a prioritização se torna automática. Como tens de escrever as tuas listas em cada weekly review, só te vais dar ao trabalho de o fazer com o que vale a pena - ou seja, com as acções e projectos com que estás realmente comprometido.
Hoje é dia de weekly review, e estou a transferir o meu papel para papel. Vou usar o meu bloco A6, da LiderPapel, daqueles que têm escrito na capa, em grandes letras, "THINK". Acrescento eu, "at least once a week."
Veremos no que isto dá.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Poema para não ler

Desde que li o pema de Fernando Pessoa "Liberdade" nunca mais fui a mesma.
Os primeiros versos, "Ai que prazer não cumprir um dever / Ter um livro para ler e não o fazer", foram-me muito prejudiciais.
A partir desse dia, passei a fazer primeiro as coisas mais agradáveis, pensando que desta forma tenho garantidas essas horas de prazer. E só então me dedico às tarefas necessárias, mas que não me preenchem tanto.
E foi assim que me tornei na procrastinadora que hoje sou.
(imagem retirada do blog Hey Ho Let's Go!!!)

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Afinidades

As mulheres encontram sempre afinidades.
O lanche desta tarde no Hotel Sana Metropolitan reuniu quatro mulheres em torno de uma mesa repleta de coisas boas e chávenas de chá. Nunca nos tínhamos visto antes, mas a conversa fluiu como se sempre tivéssemos conversado sobre aqueles assuntos - de mulheres.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Choteiras

Ao procurar fotografias dos choteiros, espécie comestível de cogumelo de Outono, encontrei várias fotografias de "choteiras". Será que não se percebe que as chuteiras servem para dar chutos, e não chotos?